terça-feira, 10 de março de 2009

Caminho Português de Santiago de Compostela



Já foi em 2006.
Tudo começou no fim-de-semana da festa de Vilarandelo em conversa com a Mónica. Era uma daquelas coisas que ambos queríamos por em prática. Estávamos a passar por um daqueles momentos em que nos apetecia, como acontece ao longo da vida a muitas pessoas, agarrar numa mochila e ir para qualquer lado e por vezes sem destino. Nós fizemos o mesmo... mas o destino era Santiago de Compostela.
No dia 4 de Setembro iniciamos o Caminho a partir de Valença. Tudo era novidade: o itinerário, as credenciais, as setas...
Todas as noites nos deitávamos na expectativa de se, no dia seguinte, conseguiríamos ou não retomar a caminhada. Mas todas as manhãs, por volta das 5h30/6h00, já estávamos prontos para mais uma jornada.
Foram seis dias de muito convívio com outros peregrinos (três casais espanhóis de Tarragona, três senhoras professoras de Castelo Branco e o respectivo guia de Braga, uma irlandesa, uma portuense, um brasileiro e um argentino) e um jantar de convívio no Albergue de Briallos.
Foi uma semana sem telemóvel, sem problemas, sem stresses, com muita paz interior e exterior e algum cansaço... Mas valeu a pena...
Ainda tivemos tempo de apanhar pulgas no Pavilhão Gimnodesportivo de Padrón (onde ficamos instalados) fazendo com que a última jornada do caminho fosse um grande sacrifício para a Mónica devido a problemas de alergia.
Esta foto foi tirada junto à Ponte das Febres logo no primeiro dia e ainda faltavam cento e muitos quilómetros para chegar ao destino.
Aconselho a quem se quiser aventurar. É uma excelente terapia para qualquer coisa.

1 comentário:

Paulo Pascoal disse...

Que saudades! do Caminho, cada palavra que dizes neste post sobre a vossa experincia no caminho de Santiago, vem-me um arrepio pela espinha acima.

Abraço do amigo paulo e parabéns pelo Blog.